Em um ano sem radares móveis, mortes no trânsito caem 13% em Santo André

Em um ano sem radares móveis, mortes no trânsito caem 13% em Santo André

Dados do Infosiga mostram redução no número de óbitos nos últimos 12 meses, fruto de ações de segurança viária

Um ano após a retirada dos radares móveis de Santo André, o número de óbitos provocados por acidentes de trânsito na cidade caiu 13,3%. Nos últimos 12 meses, entre novembro de 2017 e outubro de 2018, houve 39 vítimas fatais no município, enquanto entre novembro de 2016 e outubro de 2017 ocorreram 45 óbitos. Os dados são do Infosiga, banco de dados do Governo de São Paulo.

Os números positivos são resultado das diversas ações de segurança viária adotadas pela Prefeitura desde 2017 e que se somam à retirada dos radares móveis da cidade, ocorrida em outubro do ano passado, priorizando a educação no lugar da punição com multas. “Acabamos com a indústria da multa em nossa cidade proibindo os radares móveis em Santo André. Mais uma vez resgatando o orgulho de ser andreense, limpando nossa cidade das marcas negativas e ainda reduzindo o número de acidentes com campanha de educação no trânsito”, destaca o prefeito Paulo Serra.

A administração promove diversas atividades focadas na segurança viária e na conscientização de motoristas, pedestres e ciclistas. Entre as ações estão campanhas educativas e investimento em melhorias na sinalização de trânsito e na qualidade das vias. No mês de maio, por exemplo, com o Maio Amarelo, a Prefeitura intensificou as ações que são realizadas durante todo o ano, para conscientizar os munícipes sobre a importância de obedecer as regras de trânsito.

Santo André também realiza a Operação Fluidez, com o objetivo de melhorar o tráfego de veículos nas ruas e avenidas mais movimentadas da cidade - a iniciativa funciona com a presença de agentes reordenando o tráfego. O Departamento de Engenharia de Tráfego (DET) realiza ainda a readequação do tempo semafórico, com ajustes de sincronismo e no tempo de abertura destes equipamentos. A operação conta também com três guinchos que dão suporte em casos de chamados de urgência. As ações da Operação Fluidez têm o suporte da Central de Monitoramento de Trânsito (CMT), que atua com dois sistemas independentes de semáforos sincronizados e inteligentes, que trabalham em tempo real e monitoram 62 cruzamentos na cidade, realizando a contagem de veículos e medindo a velocidade do tráfego com ajustes automáticos dos tempos dos semáforos.

Os números apontados pelo Infosiga também são resultado da manutenção de toda sinalização de trânsito que o DET vem executando desde junho de 2017, que consiste em repintura de faixas de pedestres, limpeza de placas, recolocação de placas danificadas, instalação de semáforos, travessias elevadas, entre outras, que atendem a todas as regiões da cidade durante todo o ano. A Prefeitura promove ainda intervenções do Plano de Ação Imediata de Trânsito (PAIT), que contempla pacote de microintervenções de baixo custo e realiza alterações no sentido de vias, abertura de acessos, repintura de sinalização horizontal e vertical.

Crédito: Alex Cavanha/PSA

http://www.abcdoabc.com.br