Brasil não deve atingir meta de redução de acidentes da ONU, diz especialista

Brasil não deve atingir meta de redução de acidentes da ONU, diz especialista

Campanhas de trânsito são uma das armas contra a violência nas ruas e rodovias (foto: Soldado Guilherme Batalha/Divulgação) - Ação para segurança viária lançada pela Organização das Nações Unidades em 2010 previa queda de 50%

O Brasil não deverá cumprir a meta da Organização das Nações Unidas (ONU) de reduzir à metade o número de acidentes no trânsito até 2020. A opinião é do coordenador-geral de Educação do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Francisco Garonce, durante o programa Diálogo Brasil de ontem, que foi ao ar às 22 horas na TV Brasil. Ele admitiu que o país conseguiu redução significativa nos últimos três anos, mas que “a missão não é fácil” e a meta não será atingida no prazo.
Um dos campeões mundiais em mortes causadas por acidentes nas estradas e vias urbanas, o Brasil perde, em média, 22 vidas por ano a cada grupo de 100 mil habitantes. Na Suécia, que tem o índice mais baixo do planeta, são duas mortes anuais por 100 mil habitantes. A “Década de Ação para a Segurança no Trânsito”, lançada pela ONU em 2010, pretendia poupar 5 milhões de vidas em todo o planeta.
Para o engenheiro civil e professor aposentado da Universidade de Brasília (UnB) Dickran Berberian, que também participou do programa, “é preciso reinventar a vergonha neste país”. E, para isso, “é preciso, lamentavelmente, punir mais”. Questões como o uso do celular ao volante, a ingestão de bebidas alcoólicas antes de dirigir e até a realização de pegas em vias públicas são abordadas pelos dois especialistas.
Segundo Garonce, para cada motorista flagrado sob o efeito de álcool, pelo menos 100 outros dirigem nas mesmas condições e escapam do bafômetro. Ainda segundo ele, mais da metade das infrações no trânsito no Brasil são por excesso de velocidade.
Maio Amarelo — Desde o início do mês, são desenvolvidos no Paraná e no Brasil diversas ações do Maio Amarelo, campanha que estimula a segurança no trânsito. São palestras nas escolas, blitze nas ruas, além de eventos de orientação no trânsito. Ontem, o detran-PR realizou uma blitz educativa.
No dia 27, o próximo sábado, o Dia Estadual de Prevenção de Acidentes de Trânsito, será feita uma caminhada pela vida. A saída será às 9 horas da praça Santos Andrade até a Boca Maldita. À noite, equipes do Detran farão abordagens educativas no Curitiba Country Festival, alertando sobre os perigos de beber e dirigir.

2.692 mortes
Dados da Secretaria de Estado da Saúde mostram que, em 2016, o Paraná registrou 9.306 internações na rede pública de saúde, decorrentes de acidentes de trânsito. Foram 2.692 mortes. No mesmo período, o Detran-PR registrou que 61.200 veículos se envolveram em acidentes de trânsito com vítimas no Estado. Do total de acidentes com veículos envolvendo vítimas no Estado, cerca de 32% foram com motocicletas (20.105 casos), conforme dados do Detran. Destes, segundo o SUS, 3.656 geraram internamentos e 642 resultaram em morte do condutor, colocando-as em segundo lugar no ranking dos acidentes.

https://www.bemparana.com.b