Hashioka passa a comandar o Detran, órgão com orçamento anual de R$ 272 milhões - FENASDETRAN - Federação Nacional das Associações de DETRAN

Hashioka passa a comandar o Detran, órgão com orçamento anual de R$ 272 milhões

Nomeação dele ocorre um dia após ex-diretor pedir exoneração - Roberto Hashioka foi prefeito de Nova Andradina - Almir Portela/Arquivo/Nova News

Roberto Hashioka (PSDB), ex-prefeito de Nova Andradina, é o novo diretor-presidente do Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul (Detran), órgão com orçamento anual de pelo menos R$ 272,4 milhões e que arrecada ao menos R$ 500 milhões ao ano. 

A nomeação dele ocorre um dia depois do ex-diretor, Gerson Claro Dino ter usado espaço da governadoria para informar seu pedido de exoneração.

Claro e mais quatro servidores que exerciam cargos de chefia na autarquia foram presos na última terça-feira, dia 19, quando o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público Estadual (MPE) cumpriu mandados da Operação Antivírus. Habeas corpus os beneficiaram e um dia depois, já estavam soltos.

A operação teve como foco apurar a existência de organização criminosa voltada à prática dos crimes de corrupção ativa e passiva, fraude em licitação, peculato, organização criminosa e lavagem de dinheiro, com investigação que teve início em 2015 e tem como objeto contratos celebrados entre empresas da área de tecnologia da informação/informática e o Poder Público Estadual.

Para o presidente do Sindicato de Servidores do Detran (Sindetran), Octacílio Sakai Júnior, a nomeação de Hashioka cria uma esperança, no entanto, também é um pouco decepcionante. 

“Ficamos esperançosos, mas também um pouco chateados, porque esperávamos alguém da carreira como presidente. Mas temos que torcer por essa nova gestão”, assinalou.

Sakai comentou ainda que em Nova Andradina, Hashioka é muito querido e “as pessoas falam bem dele como administrador e o que esperamos é que ele faça uma boa gestão, como servidor do Detran e como cidadão”, comentou.

O decreto que nomeou o ex-prefeito de Nova Andradina está publicado na edição de hoje do Diário Oficial do Estado. Na mesma edição estão as exonerações a pedido de Gerson Claro, Donizete Aparecido, Gerson Tomi, Celso Braz e Érico Mendonça, que exerciam funções de diretor-presidente, diretor-adjunto, diretor de tecnologia da informação, diretora de administração e finanças e chefe da divisão de arrecadação, respectivamente.  

Hashioka comandou Nova Andradina por três mandatos, entre 2001 a 2004; 2005 a 2008 e entre 2013 e 2016. Atualmente, exercia cargo comissionado como secretário especial, no gabinete do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), de onde foi removido para então assumir o Departamento de Trânsito. A remuneração mensal do cargo é de R$ 24.376,89.

http://www.correiodoestado.com.br