Acidentes nas marginais estão sob controle, diz prefeito João Doria - FENASDETRAN - Federação Nacional das Associações de DETRAN

Acidentes nas marginais estão sob controle, diz prefeito João Doria

  Prefeito de São Paulo, João Doria - Fotos Públicas

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou nesta sexta-feira (10) que o número de acidentes e mortes nas marginais Tietê e Pinheiros no primeiro mês do programa Marginal Segura está sob controle.

"Os números estão dentro do esperado. Estão sob controle", afirmou o tucano, que esteve em evento no bairro do Jardim Europa, com 64 associações de bairro de áreas nobres da cidade. Uma delas, a AME Jardins, tem entre seus fundadores João Doria.
Os primeiros 30 dias da retomada de limites mais altos de velocidade nas marginais Pinheiros e Tietê de trânsito com vítimas (uma morte e quatro atropelamentos), de acordo com dados preliminares divulgados pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego).
Apesar dos pedidos, a gestão João Doria (PSDB) não divulga estatísticas referentes ao mesmo período de 2016 nem balanços detalhados por meses de anos anteriores.
No entanto, a média mensal de acidentes com vítimas nas duas marginais no ano passado era bem menor: 64. O aumento de velocidades nas marginais foi uma das principais promessas da campanha eleitoral do tucano.
Doria afirmou ainda que é preciso ter atenção especial com os motociclistas. Do total de 102 acidentes com vítimas, 82% envolveram motos. Questionado o motivo do sucesso do programa, segundo a visão da prefeitura, Doria disse que aumentou o número de agentes para registrar os acidentes.

Para ele, os números de anos anteriores estão subnotificados. "Não vou governar olhando pelo retrovisor. No passado, quando o acidente era só entre dois carros, pode ser que as pessoas foram embora, sem registrar", disse Doria. A redução das velocidades máximas nas marginais foi implementada em julho de 2015, na gestão Fernando Haddad (PT).

O prefeito também exaltou a rapidez da equipe de técnicos em atender as ocorrências. "Em, no máximo, dez minutos estamos atendendo as chamadas", afirmou.
Para retomar os limites de 90 km/h na pista expressa, de 70 km/h na pista central, e de 60 km/h na pista local, a gestão criou o programa Marginal Segura, comandado por Sergio Avelleda, secretário de Transportes -indicado ao cargo pelo vereador Milton Leite (DEM), hoje presidente da Câmara Municipal.

COMPARAÇÕES

A CET argumenta que os números recém-divulgados não poderiam ser comparados com períodos anteriores porque ainda não foram consolidados (cruzados com registros de boletins de ocorrências e atendimentos no sistema público de saúde).

Além disso, diz que os casos registrados podem ter crescido porque a quantidade de agentes atuando nas marginais passou de 45 por dia em 2016 para 75 depois do Marginal Segura. Com mais funcionários, diz, mais ocorrências passaram a ser atendidas.

Como as anotações dos agentes da CET são ligadas a casos com vítimas já no local do acidente, no entanto, esse reexame do total de feridos só tende a aumentar os balanços de mortos e gravidade das lesões, por contar com informações mais atualizadas de atendimentos hospitalares.

Em nota, a Cidadeapé (Associação pela Mobilidade a Pé em São Paulo) afirmou que "o registro de 102 incidentes com vítimas em um período do ano caracterizado por movimento veicular abaixo da média, por envolver período de férias escolares, é um indicativo de alerta".

A associação pondera ainda que, "embora, a rigor, seja de fato cedo para fazer comparações aprofundadas, diversos exemplos internacionais, somados à constatação da redução de ocorrências durante o período em que as velocidades estiveram reduzidas nas marginais, já deveriam ser evidências suficientes de sua capacidade de minimização de risco". (Folhapress)